Como calcular o ROI de serviços em Nuvem

Confira dicas do que deve ser considerado nas estimativas sobre o ROI para justificar às áreas de negócios os ganhos com a migração para a Cloud

Muitas empresas entendem sobre os benefícios da Cloud Computing (Computação em Nuvem) para os negócios, mas têm dificuldades para calcular o ROI (Return On Investment) ou retorno do investimento para projetos de Tecnologia da Informação (TI) em Nuvem.

O ROI é um dos indicadores econômicos mais utilizados pelos executivos de TI para justificar para as áreas de negócios o custo-benefício de novas implementações. A métrica é usada para mostrar se os investimentos que a empresa está fazendo em determinada iniciativa traz os ganhos esperados. O ROI é balizador na decisão de projetos e identifica o prazo do retorno financeiro das ações.

Na compra tradicional de tecnologias, a estimativa do ROI leva em conta uma série de itens, entre eles, o custo da ferramenta adquirida, gastos com mão de obra, tempo de implementação, período de aprendizado com uso da tecnologia, customizações necessárias, gastos com suporte técnico, ganhos de produtividade e obsolescência da solução.

Já a avaliação do ROI em Cloud Computing segue outra fórmula porque esse modelo de aquisição dos recursos de TI tem características diferentes. A Nuvem dispensa investimentos iniciais na compra de hardware e software. O pagamento é feito conforme o uso dos recursos de TI.

O custo dos serviços de Cloud é calculado pela quantidade de recursos que empresa utiliza. Desta forma, o consumo das soluções de TI em Nuvem pode subir ou diminuir de acordo com a sazonalidade do negócio.

Erros cometidos no ROI em Nuvem

Pela dificuldade em estimar o ROI em Nuvem, muitas empresas levam em consideração mais o componente redução de custos. Esse é um dos benefícios da Cloud, mas existem outros que geram grande impacto para os negócios.

O cálculo do ROI em Cloud Computing se torna mais complexo porque muitos dos ganhos são intangíveis, como os benefícios com agilidade, produtividade, eficiência e capacidade de armazenamento de dados.

Um dos erros cometidos é não avaliar com precisão os custos envolvidos na Cloud Pública. Muitas empresas se animam por achar que os valores dessa modalidade são mais baixos do que os gastos com Data Center interno e não fazem uma análise criteriosa sobre a adoção do serviço. É essencial medir despesas com integração, monitoramento e governança das soluções movidas para Nuvem compartilhada.

Algumas empresas também se esquecem de avaliar os aspectos de segurança na fase inicial do projeto de Cloud, deixando esse quesito para o final. Depois são surpreendidas com custos adicionais e erram na estimativa do ROI.

O que calcular no ROI em Nuvem

Ao estimar o ROI dos serviços em Cloud, a empresa deve fazer uma avaliação global dos ganhos financeiros com a modalidade, o que vai muito além da redução de custos. Veja a seguir quais itens que devem fazer parte dos indicadores econômicos.

Agilidade aos negócios

– A migração para Cloud aumenta a agilidade da TI que passa a atender com mais velocidade as demandas das áreas de negócios com entrega das soluções certas, como para uma nova campanha ou lançamento de um produto, por exemplo. A Nuvem ajuda também as companhias a terem respostas rápidas para os processos de mudanças, como queda nas vendas e cenários econômicos.

Produtividade das equipes

– Ao mover aplicações corporativas para Cloud, os funcionários ganham mobilidade. Eles não precisarão mais estar no escritório para acessar as ferramentas que utilizam para executar suas tarefas diárias, como consultar e-mail. Os times podem exercer suas atividades em qualquer lugar e com mais flexibilidade, o que contribui também para aumento de satisfação das equipes.

Inovação e foco no negócio

– A jornada Cloud assume as atividades operacionais da TI, deixando as equipes mais livres para trabalhar próximas aos negócios. A Nuvem abre espaço para que esses profissionais possam praticar mais a inovação e propor soluções que tragam valor para os resultados da companhia.

Armazenamento de dados

– Um dos ganhos que deve ser contemplados no ROI é a grande capacidade da Nuvem para armazenamento de dados, principalmente, na era do Big Data (compilação de grandes volumes de dados por meio de tecnologia).

Esses são apenas alguns dos ganhos com intangíveis com a jornada Cloud. Existem outros que a sua companhia deve achar a formula para medir e saber como calcular o ROI.

Gosto do artigo? Comente!


Comente o que achou