Virtualização aninhada dá mais poder para máquina virtual

Abordagem de virtualização aninhada capacita servidores virtuais para executar vários hypervisors em um mesmo ambiente

Uma nova técnica está permitindo melhor aproveitamento dos servidores virtuais fornecidos pela Infraestrutura as a Service (IaaS) em Cloud Computing (Computação em Nuvem). É a abordagem de virtualização aninhada. O nome é meio estranho mesmo e usado para capacitar máquinas virtuais (VMs) para que possam executar outras máquinas uma dentro da outra.

A prática da virtualização aninhada é útil para administradores de redes, desenvolvedores e outros profissionais que precisam configurar VMs para criar aplicações, testar e colocá-las no ar na velocidade exigida pelos negócios.

O objetivo da virtualização aninhada é processar vários hypervisors em um mesmo servidor hospedado em Cloud. O hypervisor ou monitor de máquina virtual (VMM) é uma plataforma que aplica diversas técnicas de controle de virtualização. A tecnologia utiliza diferentes sistemas simultaneamente para orquestrar as VMs.

Virtualização aninhada facilita desenvolvimento

Administradores de redes podem usar a técnica de virtualização aninhada para testar diversas formas de configurações em servidor com mais flexibilidade. O recurso contribui para redução de erros em ambiente virtualizado.

Com a virtualização aninhada, o desenvolvedor pode, por exemplo, trabalhar com hypervisor Xen, de código aberto, em uma infraestrutura baseada em KVM (máquina virtual baseada em kernel ou núcleo Linux) com maior proveito do processo de depuração para diminuição de bugs ou defeitos de software.

A virtualização aninhada traz ganhos para o desenvolvimento em Cloud Computing pela sua simplicidade na orquestração de hypervisors em VMs. O modelo permite também criar novas técnicas em Nuvem e ampliar o uso dos múltiplos sistemas operacionais.

Um outro recurso da virtualização aninhada é permitir unir componentes como máquinas virtuais, redes, armazenamento em um único ambiente.

Vantagem dos supervisors

Os hypervisors foram lançados no mercado no começo da década de 1970 com a missão de fornecer recursos da máquina física para as virtuais. Depois a tecnologia evoluiu para os servidores e em meados de 1990 passou a ser utilizada também em desktop.
Foi com a popularização dos serviços em Nuvem que a virtualização por hypervisors ganhou força e vem impulsionando a oferta de máquinas virtuais pelos serviços de IaaS.

Entre as vantagens desse modelo de virtualização destacam-se o gerenciamento centralizado dos vários sistemas operacionais e hardware, atualização de patches centralizada com mais rapidez, além de redução dos riscos com erros de software testados em ambientes virtuais.

Porém, nem todos os hypervisors estão preparados para a virtualização aninhada. Entre os que estão prontos para essa abordagem estão Xen (de código aberto), o Hyper V da Microsoft, ESX da VMware.

Gostou do artigo? Comente!


Comente o que achou