Qual a diferença entre virtualização e nuvem?

Os conceitos são distintos, mas se complementam e são grandes aliados para colocar sua empresa na era digital

Os termos virtualização e Cloud Computing (Computação em Nuvem) passaram a fazer parte da agenda dos departamentos de Tecnologia da Informação para reduzir custos, atender as necessidades dos negócios e aumentar a eficiência operacional dessa área. São conceitos com propostas diferentes e que ainda geram muitas dúvidas. A proposta deste post é explicar como cada um desses modelos funciona para que você possa tomar decisões corretas para sua empresa.

A virtualização é um conceito antigo e distinto de Nuvem. A diferença básica entre ambos é que a virtualização é mais uma técnica de otimização e compartilhamento dos recursos de TI, aplicada tanto em Data Centers internos de empresas quanto pelos terceirizados. Já a Cloud Computing se propõe a entregar de soluções de TI pelo modelo de serviços por redes compartilhadas ou privadas.  

Embora sejam diferentes, Nuvem e virtualização sem complementam. Os provedores de Cloud Computing se apoiam nessa técnica para maximizar sua infraestrutura de serviços e melhorar o gerenciamento de seus Data Centers, reduzindo custos como os de manutenção e de energia elétrica. Os provedores de Nuvem também ofertam soluções virtualizadas para seus clientes.  

Vantagens da Nuvem e virtualização

A Nuvem permite às empresas contratar soluções de TI pelo modelo de serviços com acesso pela Internet sem a necessidade da compra de servidores ou aplicativos. A empresa pode até operar um Data Center inteiro pelo Cloud Computing, diminuindo gastos com infraestrutura.

São vários os serviços que podem ser contratados pela Nuvem, utilizando redes privadas, híbridas ou públicas. Nessa última modalidade, a infraestrutura de TI é compartilhada com outros usuários. A escolha de cada dessas Clouds vai depender da sua necessidade e estratégias de negócios.  

O Cloud Computing entrega ofertas de IaaS (Infraestrutura como Serviços) SaaS (Software como Serviços), PaaS (Plataforma como Serviços), DaaS (Dados como Serviço) e CaaS (Comunicações como Serviço), entre outras.

Já a virtualização, é uma técnica utilizada para separar os componentes físicos de TI e processá-los em máquinas virtuais de forma compartilhada. O conceito pode ser adotado para computadores, sistemas operacionais, dispositivos de armazenamento, aplicativos ou redes. Essa prática é mais comum em ambientes de servidores para permitir que um mesmo equipamento rode diferentes aplicações de software.

Até pouco tempo, os departamentos de TI eram obrigados a ter servidores dedicados para rodar determinado sistema operacional e um aplicativo de cada vez. Assim, a máquina que era reservada para o pacote de Gestão Empresarial Integrada (ERP) tinha seu alto pico de processamento no final do mês e ficava ocioso nos demais dias. Mas esse servidor era estratégico para os negócios, tinha que estar pronto para as datas críticas. O mesmo acontecia com outros computadores destinados ao processamento da folha de pagamento e soluções de relacionamentos com o cliente (CRM), entre outros aplicativos empresariais.  

Como resultado disso, os Data Centers, inclusive os de pequeno porte, precisam investir constantemente em servidores para não colocar os negócios em risco. Estudos das consultorias de pesquisas Gartner e IDC estimam que o uso da capacidade dessas máquinas por volta de 2010 girava entre 15% e 20%. A grande ociosidade dos recursos de TI gera ineficiência.

A virtualização veio para ajudar as empresas a dimensionar o uso dos ativos de TI de acordo com as demandas dos negócios. A técnica utiliza uma camada de software para simular a existência de servidores em ambientes centralizados, criando máquinas virtuais, que podem ser compartilhadas e processar em um mesmo computador diferentes sistemas e aplicativos.

O modelo de virtualização traz uma série de benefícios como redução dos investimentos em novos equipamentos, corte de custos com manutenção e espaço para hospedagem de infraestrutura. Com essa prática, os Data Centers foram consolidados e ganharam escala para atender seus clientes.

Com a ajuda da Nuvem, a virtualização permite entregar às empresas recursos de TI para acesso em qualquer lugar pelos mais variados dispositivos. Com disseminação dos smartphones e tablets, os escritórios estão cada vez mais móveis. Os funcionários não precisam mais estar nas sedes físicas para realizar suas atividades. Apoiados pelos dois conceitos, eles podem trabalhar onde quer que estejam com produtividade, acessando todas as aplicações que precisam.

Juntas, a virtualização e a Nuvem são grandes aliadas para impulsionar os negócios e colocar sua empresa na era digital.

Gostou dessa alternativa? Comente!


Comente o que achou