Mitos e verdades sobre Cloud Híbrida

Confira alguns mitos e verdades sobre a Cloud Híbrida, apontada como o futuro da TI por unificar todos os serviços em Nuvem

Investimentos em Cloud Computing (Computação em Nuvem) estão entre as dez prioridades das empresas para 2017. Um dos serviços em análises pelas organizações é a adoção de Cloud Híbrida, considerada a combinação do futuro por unificar as aplicações de Tecnologia da Informação (TI). Como o mercado tem despejado muita informação, destacamos alguns mitos e verdades sobre essa modalidade.

Estudos globais do Gartner estimam que até o final deste ano metade das corporações terão adotado a Cloud Híbrida, enquanto a IDC prevê que até dezembro de 2017, cerca de 80% das companhias ao redor do globo vão se comprometer com alguma arquitetura de Nuvem mista.
Entretanto, analistas destacam que muitas companhias têm dificuldade para implementar Cloud Híbrida. Muitas se entusiasmam com os projetos mas não têm a noção exata de como esse serviço funciona e como fazer a contratação correta.

O que é Cloud Híbrida?

A Cloud Computing conta com três tipos de redes. Cloud Pública, Privada e Híbrida. A primeira é oferecida por ambiente compartilhado com outras empresas, por isso, seus preços são mais competitivos e mais companhias estão comprando o serviço.

A Nuvem Privado, que, como o próprio nome diz, funciona em ambiente do próprio cliente. Não é necessário operar em Data Center on-premise, ou seja, estar dentro de suas instalações, possibilitando o funcionamento em espaços de terceiros, com maior flexibilidade.

Já a Cloud Híbrida integra em rede única as ofertas da modalidade de Nuvem Pública e Privada. Seu objetivo é possibilitar que as companhias tenham um melhor aproveitamento do consumo de TI na modalidade de serviço.

Pela infraestrutura híbrida, as empresas podem deixar aplicações menos críticas armazenadas em sistemas compartilhados e as mais estratégicas para os negócios em ambiente de exclusivo acesso da empresa.

Por reunir todos os serviços em um mesmo lugar, essa rede mista possibilita vantagens como flexibilidade, rapidez e redução de custos, assim como segurança e alta disponibilidade para aplicações críticas.

A Cloud Híbrida permite a contratação de serviços de Nuvem conforme a demanda da empresa, incluindo IaaS (Infraestrutura como Serviço), SaaS (Software como Serviço) e PaaS (Plataforma como Serviço), assim como as outras duas redes.

Mitos sobre a Cloud Híbrida

Desmistificamos a seguir quatro mitos de Cloud Híbrida para que sua empresa possa avaliar o quais as vantagens desse tipo de projeto.

Segurança da Cloud Híbrida

Muitas empresas ainda têm receio de migrar para Nuvem preocupadas com as questões de segurança. Essa preocupação geralmente se estende para todas as modalidades, incluindo a Cloud Híbrida. Quando bem implementada, essa categoria é uma das mais segura para a proteção de dados sensíveis. Essa rede pode oferecer até mais proteção que o ambiente on-premise, ou seja, a infraestrutura local da corporação. O mito de que o controle interno é mais seguro está caindo por terra, uma vez que os dados armazenados em Nuvem podem estar mais protegidos. Além disso, o serviço tem a vantagem de o acesso ser realizado a qualquer momento e pelos mais variados tipos de dispositivos.

Complexidade das implementações

Um dos inibidores para implementação de Cloud Híbrida é a complexidade, dizem gestores de TI. Sim, é verdade. Mas as dificuldades podem ser reduzidas se o plano de migração analisar bem a integração das diversas aplicações de negócios da companhia. A companhia precisa saber o que é compatível ou não com a Nuvem. O ideal para colocar essa iniciativa em prática é traçar uma estratégia bem planejada e encontrar um provedor parceiro ou consultoria especializada para aumentar as chances de sucesso do projeto.

Incerteza com tempo de duração do projeto

É normal o receio das companhias de moverem sistemas legados para Cloud Híbrida sem terem a certeza de que a parceria com o provedor será permanente. A jornada para a Nuvem de cada empresa é diferente. Porém, atualmente, os prestadores de serviços estão mais maduros e ganhando escala para oferecer melhores serviços às empresas.

Cloud Híbrida integra todo o legado

Nem todas as aplicações da infraestrutura legada são compatíveis com Cloud Computing. Sua empresa pode ter sistemas que não poderão ser levados para a Cloud Híbrida. Por isso, a importância de fazer um estudo detalhado para saber quais sistemas suportam o modelo de serviço. Os que não possuem compatibilidade vão exigir avaliação do custo-benefício de ficar em ambiente on-premise ou mudar para Nuvem.

Gostou do artigo? Comente!


Comente o que achou